Translator

quarta-feira, 12 de junho de 2013

Você não precisa entender,
precisa sentir!
Não é necessário saber tudo,
mas buscar aprendizado.
Nascemos sem nada saber,
e ainda morremos cheios de dúvidas.
Não existe pessoa certa
tampouco o momento errado.
E nem certeza de muita coisa.
Mas muita coisa é certa.
E o destino é o único,
e ainda sim, muda constantemente
incerto, o plantio é opcional
e a colheita é inevitável!
Existem encontros e desencontros,
e a gente determina quem vai ou fica.
A vida é cheia de surpresas.
De escolhas.
Ela começa no final da zona de conforto.
E a cada minuto que passa
temos a chance de mudar tudo
para sempre..
Ou por enquanto.

terça-feira, 11 de junho de 2013

E dos sentimentos mais profundos do meu coração,
tive até vontade de pegar um lápis e um papel...
Escolhi os conteúdos que mais se encaixavam na situação,
mas a capa vermelha com um coração, bem expressiva,
não negava e meus olhos não puderam hesitar.
E não bastou apenas um, mesmo que não fosse entrega-los,
eram todos seus, ainda tinha mais conteúdo pra escrever a caneta.
Apesar de as palavras serem tão pobres nesse momento,
elas somem quando eu tento expressar a beleza,
tentei até desenhar, mas não obtive muito sucesso.
Sabe, não sei nem mesmo explicar o que sinto.
Existe tanto amor pra doar dentro do meu coração
que pra mim é confuso e difícil entender...
Tô ouvindo aquela musica do Elton Jonh agora,
Your Song, e uma  lágrima quer cair
não sei se de triste ou feliz.
Dá pra notar que eu não sei muitas coisas dessa vida,
sou como um pássaro, que raramente pisa em terra firme.
Naquele momento eu chorei naqueles braços
e depois podia sentir o cheiro em minhas roupas,
eu sentia o cheiro em vários lugares, isso me lembrava
do tempo que sorríamos como crianças
fico tentando entender...
Será que eu não tive a capacidade de aceitar
que tudo isso era realmente é suficiente?
Quando vejo imagens de um rosto bonito em meus retratos,
a carne me confunde, talvez o costume, me consome,
não poderia ter certeza disso sem voltar no tempo,
sentir que naquele jardim não florescerá mais rosas
e que não tenha deixado pra trás sementes de uma família...
Sementes de um talvez.
Não, não é isso que eu quero.
Fizeste com que tudo isso perdesse um pouco o sentido,
social, íntimo, filosófico, ideal - Idealismo, talvez um mero clichê.
Minha curiosidade me aproximou daquele olhar,  tirou um pouco do eixo
de curioso agora são os sentimentos
embaralhando ainda mais as coisas que desconheço.
E tão doce contraste...
Foi apenas uma ilusão.
Agora me olho no espelho, nem sei mais quem sou.
Não pelos fatos, ou mesmo a ausencia deles.
Preciso me encontrar, antes de "querer" qualquer coisa,
mas não faço ideia de onde esteja.
Tentei por vezes procurar dentro de alguém...
Incessante busca de algo que talvez nem exista.
Me sinto tão ínfima e comum.
Não poderia mensurar o quão profundas são minhas dúvidas
questionamentos a respeito de tudo.
Perguntas incessantes, infinitas.
A ansiedade de saber o que tem por vir. Sempre.
Minha sede de acertar, me cega as vezes.
Você estava ali bem na minha frente.
Ainda sim eu não pude sentir,
faltou desejo, faltou vida, ensejo.
Quando penso que me encontrei,
doce ilusão, me perco novamente...
Não sei mais onde você está agora
pois nesses devaneios também te perdi...