Translator

terça-feira, 9 de julho de 2013

O sotaque das mineiras . Carlos Drummond de Andrade

O sotaque das mineiras deveria ser ilegal, imoral ou engordar.Afinal,se tudo que é bom tem um desses horríveis efeitos colaterais, como é que o falar, sensual e lindo das moças de Minas ficou de fora?
Porque, Deus, que sotaque! Mineira devia nascer com tarja preta avisando: "ouvi-la faz mal à saúde". Se uma mineira, falando mansinho, me pedir para assinar um contrato doando tudo que tenho, sou capaz de perguntar: "só isso?". Assino, achando que ela me faz um favor.
Eu sou suspeitíssimo. Confesso: esse sotaque me desarma. Certa vez quase propus casamento a uma menina que me ligou por engano, só pelo sotaque.
Os mineiros têm um ódio mortal das palavras completas... Preferem, sabe-se lá por que, abandoná-las no meio do caminho. Não dizem: pode parar, dizem: "pó parar" Não dizem: onde eu estou?, dizem: "onde queu tô."
Os não-mineiros, ignorantes nas coisas de Minas, supõem, precipitada e levianamente, que os mineiros vivem - lingüisticamente falando - apenas de uais, trens e sôs.
Digo-lhes que não. Mineiro não fala que o sujeito é competente em tal ou qual atividade. Fala que ele é bom de serviço. Pouco importa que seja um juiz, um jogador de futebol ou um ator de filme pornô. Se der no couro - metaforicamente falando, claro - ele é bom de serviço. Faz sentido...
Mineiras não usam o famosíssimo tudo bem. Sempre que duas mineiras se encontram, uma delas há de perguntar pra outra: "cê tá boa?" Para mim, isso é pleonasmo. Perguntar para uma mineira se ela tá boa é desnecessário. ...
Há outras. Vamos supor que você esteja tendo um caso com uma mulher casada. Um amigo seu, se for mineiro, vai chegar e dizer: - Mexe com isso não, sô (leia-se: sai dessa, é fria, etc..) O verbo "mexer", para os mineiros, tem os mais amplos significados. Quer dizer, por exemplo, trabalhar. Se lhe perguntarem com o que você mexe, não fique ofendido. Querem saber o seu ofício.
Os mineiros também não gostam do verbo conseguir. Aqui ninguém consegue nada. Você não dá conta. Sôcê (se você) acha que não vai chegar a tempo, você liga e diz: "- Aqui, não vou dar conta de chegar na hora, não, sô."
Esse "aqui" é outra delícia que só tem aqui. É antecedente obrigatório, sob pena de punição pública, de qualquer frase. É mais usada, no entanto, quando você quer falar e não estão lhe dando muita atenção: é uma forma de dizer "olá, me escutem, por favor". É a última instância antes de jogar um pão de queijo na cabeça do interlocutor.
Mineiras não dizem "apaixonado por". Dizem, sabe-se lá por que, "apaixonado com". Soa engraçado aos ouvidos forasteiros. Ouve-se a toda hora: "Ah, eu apaixonei com ele...". Ou: "sou doida com ele" (ele, no caso, pode ser você, um carro, um cachorro).
Eu preciso avisar à língua portuguesa que gosto muito dela, mas prefiro, com todo respeito, a mineira. Nada pessoal. Aqui certas regras não entram. São barradas pelas montanhas.
Por exemplo: em Minas, se você quiser falar que precisa ir a um lugar, vai dizer: - "Eu preciso de ir." Onde os mineiros arrumaram esse "de", aí no meio, é uma boa pergunta.. Só não me perguntem! Mas que ele existe, existe. Asseguro que sim, com escritura lavrada em cartório.
No supermercado, o mineiro não faz muitas compras, ele compra um tanto de coisa. O supermercado não estará lotado, ele terá um tanto de gente. Se a fila do caixa não anda, é porque está agarrando lá na frente. Entendeu? Agarrar é agarrar, ora!
Se, saindo do supermercado, a mineirinha vir um mendigo e ficar com pena, suspirará :"- Ai, gente, que dó."
É provável que a essa altura o leitor já esteja apaixonado pelas mineiras... Não vem caçar confusão pro meu lado! Porque, devo dizer, mineiro não arruma briga, mineiro "caça confusão". Se você quiser dizer que tal sujeito é arruaceiro, é melhor falar, para se fazer entendido, que ele "vive caçando confusão".
Ah, e tem o "Capaz...." Se você propõe algo a uma mineira, ela diz: "capaz" !!! Vocês já ouviram esse "capaz"? É lindo. Quer dizer o quê? Sei lá, quer dizer "ce acha que eu faço isso"!? com algumas toneladas de ironia.. Se você ameaçar casar com a Gisele Bundchen, ela dirá: "ô dó dôcê". Entendeu? Não? Deixa para lá.
É parecido com o "nem..".Já ouviu o "nem..."?
Completo ele fica: "- Ah, nem...." O que significa? Significa, amigo leitor, que a mineira que o pronunciou não fará o que você propôs de jeito nenhum. Mas de jeito nenhum. Você diz: "Meu amor, cê anima de comer um tropeiro no Mineirão?".
Resposta: "nem...." Ainda não entendeu? Uai, nem é nem. Leitor, você é meio burrinho ou é impressão?
Preciso confessar algo: minha inclinação é para perdoar, com louvor, os deslizes vocabulares das mineiras. Aliás, deslizes nada. Só porque aqui a língua é outra, não quer dizer que a oficial esteja com a razão.
Se você, em conversa, falar: "Ah, fui lá comprar umas coisas...".. - Que" s coisa? - ela retrucará. O plural dá um pulo. Sai das coisas e vai para o "que"!
Ouvi de uma menina culta um "pelas metade", no lugar de "pela metade". E se você acusar injustamente uma mineira, ela, chorosa, confidenciará :
Ele pôs a culpa "ni mim".
A conjugação dos verbos tem lá seus mistérios, em Minas... Ontem, uma senhora docemente me consolou: "preocupa não, bobo!".. E meus ouvidos, já acostumados às ingênuas conjugações mineiras. nem se espantam. Talvez se espantassem se ouvissem um: "não se preocupe", ou algo assim. Fórmula mineira é sintética. e diz tudo.
Até o tchau, em Minas, é personalizado. Ninguém diz tchau, pura e simplesmente. Aqui se diz: "tchau pro cê", "tchau pro cês". É útil deixar claro o destinatário do tchau...

quarta-feira, 12 de junho de 2013

Você não precisa entender,
precisa sentir!
Não é necessário saber tudo,
mas buscar aprendizado.
Nascemos sem nada saber,
e ainda morremos cheios de dúvidas.
Não existe pessoa certa
tampouco o momento errado.
E nem certeza de muita coisa.
Mas muita coisa é certa.
E o destino é o único,
e ainda sim, muda constantemente
incerto, o plantio é opcional
e a colheita é inevitável!
Existem encontros e desencontros,
e a gente determina quem vai ou fica.
A vida é cheia de surpresas.
De escolhas.
Ela começa no final da zona de conforto.
E a cada minuto que passa
temos a chance de mudar tudo
para sempre..
Ou por enquanto.

terça-feira, 11 de junho de 2013

E dos sentimentos mais profundos do meu coração,
tive até vontade de pegar um lápis e um papel...
Escolhi os conteúdos que mais se encaixavam na situação,
mas a capa vermelha com um coração, bem expressiva,
não negava e meus olhos não puderam hesitar.
E não bastou apenas um, mesmo que não fosse entrega-los,
eram todos seus, ainda tinha mais conteúdo pra escrever a caneta.
Apesar de as palavras serem tão pobres nesse momento,
elas somem quando eu tento expressar a beleza,
tentei até desenhar, mas não obtive muito sucesso.
Sabe, não sei nem mesmo explicar o que sinto.
Existe tanto amor pra doar dentro do meu coração
que pra mim é confuso e difícil entender...
Tô ouvindo aquela musica do Elton Jonh agora,
Your Song, e uma  lágrima quer cair
não sei se de triste ou feliz.
Dá pra notar que eu não sei muitas coisas dessa vida,
sou como um pássaro, que raramente pisa em terra firme.
Naquele momento eu chorei naqueles braços
e depois podia sentir o cheiro em minhas roupas,
eu sentia o cheiro em vários lugares, isso me lembrava
do tempo que sorríamos como crianças
fico tentando entender...
Será que eu não tive a capacidade de aceitar
que tudo isso era realmente é suficiente?
Quando vejo imagens de um rosto bonito em meus retratos,
a carne me confunde, talvez o costume, me consome,
não poderia ter certeza disso sem voltar no tempo,
sentir que naquele jardim não florescerá mais rosas
e que não tenha deixado pra trás sementes de uma família...
Sementes de um talvez.
Não, não é isso que eu quero.
Fizeste com que tudo isso perdesse um pouco o sentido,
social, íntimo, filosófico, ideal - Idealismo, talvez um mero clichê.
Minha curiosidade me aproximou daquele olhar,  tirou um pouco do eixo
de curioso agora são os sentimentos
embaralhando ainda mais as coisas que desconheço.
E tão doce contraste...
Foi apenas uma ilusão.
Agora me olho no espelho, nem sei mais quem sou.
Não pelos fatos, ou mesmo a ausencia deles.
Preciso me encontrar, antes de "querer" qualquer coisa,
mas não faço ideia de onde esteja.
Tentei por vezes procurar dentro de alguém...
Incessante busca de algo que talvez nem exista.
Me sinto tão ínfima e comum.
Não poderia mensurar o quão profundas são minhas dúvidas
questionamentos a respeito de tudo.
Perguntas incessantes, infinitas.
A ansiedade de saber o que tem por vir. Sempre.
Minha sede de acertar, me cega as vezes.
Você estava ali bem na minha frente.
Ainda sim eu não pude sentir,
faltou desejo, faltou vida, ensejo.
Quando penso que me encontrei,
doce ilusão, me perco novamente...
Não sei mais onde você está agora
pois nesses devaneios também te perdi...

segunda-feira, 15 de abril de 2013

..."Se choro, quando choro, e minha lágrima cai, é pra regar o capim que alimenta a vida, chorando eu refaço as nascentes que você secou.
Se desejo, o meu desejo faz subir marés de sal e sortilégio.
Vivo de cara pra o vento na chuva, e quero me molhar.
O terço de Fátima e o cordão de Gandhi, cruzam o meu peito.
Sou como a haste fina, que qualquer brisa verga, mas nenhuma espada corta..."

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Dez coisas que levei anos pra aprender..



"Dez Coisas que Levei Anos Para Aprender:

1. Uma pessoa que é boa com você, mas grosseira com o garçom, não pode ser uma boa pessoa.
2. As pessoas que querem compartilhar as visões religiosas delas com você, quase nunca querem que você compartilhe as suas com elas.
3. Ninguém liga se você não sabe dançar. Levante e dance.
4. A força mais destrutiva do universo é a fofoca.
5. Não confunda nunca sua carreira com sua vida.
6. Jamais, sob quaisquer circunstâncias, tome um remédio para dormir e um laxante na mesma noite.
7. Se você tivesse que identificar, em uma palavra, a razão pela qual a raça humana ainda não atingiu (e nunca atingirá) todo o seu potencial, essa palavra seria “reuniões”.
8. Há uma linha muito tênue entre “hobby” e “doença mental”.
9. Seus amigos de verdade amam você de qualquer jeito.
10. Nunca tenha medo de tentar algo novo. Lembre-se de que um amador solitário construiu a Arca. Um grande grupo de profissionais construiu o Titanic.

Quero, um dia, poder dizer às pessoas que nada foi em vão… que o AMOR existe, que vale a pena se doar às amizades a às pessoas, que a vida é bela sim, e que eu sempre dei o melhor de mim… e que valeu a pena!"

Luís Fernando Veríssimo