Translator

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Elas ainda estão...

Mulheres, mulheres!
A geração atual está deixando a desejar,  e me perdoem os termos "meninas",
mas algumas estão pegando pesado!
 LITERALMENTE!
Desde a academia até as atitudes
revoltadas de uma nação reprimida, dá época dos vestidos longos para essas revistas pornográficas, Depois de Joana Dar'c e a época da proibição do voto,
do inicio da conquista no mercado de trabalho, e aos grandes cargos de chefia
elas estão cada dia mais "poderosas"!
Mas será que essa revolução toda, tem deixado todas as mulheres relativamente independentes felizes?
Pois o respeito conquistado chega a tal ponto que as exigências são as mesmas, a fragilidade mascarada com roupas sociais óculos e maletinha, ou até botas emborrachadas para as mais "braçais".
Como se os corpos fossem iguais, a competição chega a ser desleal.
Veja bem, não quero desdenhar nenhum direito conquistado.
Apenas analisar a fundos, até que ponto isso foi "benefício".
Pois eu ainda sinto minhas origens aflorarem quando as lágrimas vertem dos meus olhos descrentes, sonhando com aqueles homens fortes protetores e valentes.
Até os próprios pais não se sentem mais "obrigados" a sustentar as filhas após os 18 anos.
Nem eu discordo disso, mas é que... Onde estão as rosas do jardim?!
Foi muito comodo pra tanta valentia!
É uma afronta!!!
Tantos cafajestes contando estorias erradas, e tantos filhos de papai sem ouvir historias certas.
E vê-se homens idosos sem quase nenhuma sabedoria.
Quem está educando essa geração meu pai?!
Essa postura tem ofuscado um pouco do heroísmo masculino.
Se falar na parte que resolveu se converter - nada contra.
Isso me deixa profundamente nostálgica de uma época que eu nem existia, onde as carruagens viviam enfeitadas, e os homens cortejavam as damas.
Beijavam suas mãos suavemente e com cautela as convidavam pra jantar...
(Tirando a parte que fazer uma faculdade para uma mulher era tido como rebeldia.)
As damas sentavam-se ao sol da varanda pela manhã... Com uma mata rica, e os pássaros cantando...
As pessoas não respiravam celular, não viam tanta gente pedindo dinheiro para usar drogas, muito menos tantos "falsos profetas" dentro do transporte público, já modernizado pela tecnologia...
Eram cavalos e não carros! As horas não eram milimetradas, tempo não era dinheiro e o mundo não girava apenas em torno disso. Não para a maioria.. Pois sempre existiram os barões.. Eles ainda sim descansavam muito mais do que um executivo no auge da careira.
Bem eu não sei o que está havendo!
Sei que eu me sinto um peixe fora d'agua!
Sem falar em tanta discórdia e a busca contínua atual pelo dinheiro, e os confortos mundanos, um hedonismo surreal.
E o meu espírito vaga angustiado nessas noites, com minha  delicadeza já ofuscada pela ausencia de importancia masculina, e a falta de paciência com os "nossos dramas"...
Pois eles não percebem que estão nos matando com tantas atitudes "contemporâneas", tantas exigências e esperanças. Querendo deixar os filhos com a "babá" para você voltar logo pro trabalho...
E a educação das crianças fica por conta de uma iletrada que assiste novela e usa minissaia, a propósito onde estão as "governantas"?
Nasceremos de suas costelas outra vez, para sentirem que somos parte, não inteiro!
Meu Deus! Pra onde foi o romantismo?
Daquele homem que volta todo dia pra casa e deita do lado da amada...
Até envelhecer e morrer - junto!
Acho que eu vim na época errada...




Nenhum comentário: