Translator

terça-feira, 13 de setembro de 2011

E toda a ternura e delicadeza se dissolveram naquele momento, em inconsequentes palavras ríspidas inundadas de orgulho e outros sentimentos ruins.
Aquilo decepcionou-a de uma forma tão brusca, que preferira não nutrir mais nenhuma palavra profetizada, tampouco em pensamentos.
Foram assim revestidas num silêncio e imensa tristeza não se sabe onde e nem como.
E eles apenas não conseguiam entender, como podem dois sentimentos serem tão distantes e tão próximos ao mesmo tempo.
Porque ele.
De longe.
Com alguma certeza.
É o homem que ela escolheu pra viver.
E um dos que mais admirara até então.
Aquilo tudo ficou emerso numa reflexão breve - declarada anteriormente.
E de fato; eles se complementam, em todos os aspectos que poderia se presumir,
e por serem tão contrastantes e ao mesmo tempo tão idênticos.
Puderam entender o fosco, daquele colorido em preto e branco.
Mesmo que por segundos.
Cada vez que o tempo para.
Se misturam num oceano de entendimento...

Então regojizara-se num momento estremo de nostalgia.
E da forma mais linda lembrara de cada sonho ...
Rezara um pouco e caíra lentamente num sono profundo.

Um comentário:

Daiana disse...

Gabriela, tenho achado muito interessante tudo que você escreve.
Parabéns, pois você escreve super bem!
Beijos.
Daiana.