Translator

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Vazio.

Ainda posso sentir os seus dedos deslizando suavemente pelo meu corpo, com o suor e a respiração intensa..
Parece que os corações entram em sincronia quando encostam-se as superfícies do tórax..
E por mais que existam mil palavras,
nenhuma seria capaz de expressar o que se passa por ali.
Ao mesmo tempo que sinto as batidas do seu coração, eu lembro que existe um batendo dentro de mim também. Com força.
As vezes parece que a gente sai do corpo que possui.
Seria uma espécie de "avatar", onde não faço ideia de quem e como habita meu eu.
Sei que não continuo ali.
Embora esteja imensamente feliz, realizada,
tudo parece muito vazio nesses momentos.
Começo a indagar a profundidade da existência.
Parece uma espécie de fenda, por onde sai um feixe de luz no meio da escuridão.
Me sinto tão pequena, no meio dessa imensidão.
Quase desapareço.
E pra não dizer que já não existo,
nem mais nada diante a minha insignificante existência...
Enfoco o altruísmo, preciso esquecer de mim..
Desapegar de qualquer forma superficial de ser.
Me desprender do egoísmo e das vontades.
Minhas tantas exigências hipócritas e individualistas.
Assim não é certo, ninguém merece isso,
Independentemente do hospedeiro.
As pessoas merecem amor, atenção.
Merecem compreensão.
Por mais ruins que possam parecer,
Deus nos ensinou isso.
E quem sente medo de pessoas ao invés de animais?
Ame ao próximo como a ti mesmo.
Essa é uma forma de atingir em algum aspecto a tal
"felicidade".
Um dos muitos deles.
E eu não consigo entender, por que há tanta maldade.
Não consigo!
Tanta desigualdade,
Tanta!
Isso me deixa tão...
Vazia.
Que nada faz mais sentido.
Só amar.

Um comentário:

Anônimo disse...

Se você continuar escrevendo assim eu paro! Que vergonha...