Translator

terça-feira, 28 de junho de 2011


‎"O estado mais elevado de amor não é, de modo algum, um relacionamento:
é simplesmente um estado do seu ser.
Assim como as árvores são verdes, aquele que ama é amoroso.
Elas não são verdes apenas para determinadas pessoas:
não é que quando você aparecer, elas se tornam verdes.
A flor continua espalhando sua fragrância quer alguém apar...eça ou não,
quer alguém aprecie ou não.
A flor não começa a liberar sua fragrância quando um grande poeta está se aproximando – 'Bem, este homem apreciará, este homem será capaz de compreender quem eu sou'. E ela não fecha suas portas quando vê que uma pessoa estúpida, idiota, está passando por ali – uma pessoa insensível, obtusa, um político ou alguém parecido... Ela não se fecha – 'Qual o sentido? Por que jogar pérola aos porcos?'
Não, a flor continua espalhando sua fragrância. Trata-se de um estado, não de um relacionamento." (Osho)

sexta-feira, 17 de junho de 2011


Uma hora a vida te leva, outra ela te carrega.
Ocupar a mente é uma das melhores maneiras de vigorar.
E não sobra tempo pra muita coisa..
Por que tudo quando se analisa, parece estrondoso.
Melhor enfrentar, não tentar fugir do foco, encarar.
De frente - consigo, nunca pareceu tão estranho
nem tão familiar. É engraçado as vezes, os anos passam, algumas coisas
mudam, nem sempre pra melhor. Mas a mudança é inevitável.
Não dá pra estagnar no vácuo.
E passa voando. A única certeza que se tem - é o agora,
Talvez não dê tempo de
passar a limpo.
Talvez seja melhor sentir menos. Fazer mais.
Falar menos, ouvir mais.
Julgar menos, observar mais.

domingo, 12 de junho de 2011

"Seria cômico se não fosse trágico", o mundo é muito alegre quando pensamos, e trágico quando sentimos. Eu gosto de sentir, aliás eu "sinto muito"! Mas adoro alegria, momentos únicos e intensos valem a pena, a vida é feita disso. Pois a tristeza não tem fim, a felicidade sim. Prolongaremos pois os momentos felizes. E o resto é consequência. Não espera-te pois o amor bater em sua porta e nem alguém que vá lhe completar. Isso vem com a essência, quem se sente incompleto sozinho, vai sentir o mesmo no meio da multidão. O que faz o seu bem dizer não pode estar na boca de outrem, o que sentes bem querer não vá ser outro desejo, pois, nem complemento de outra ambição. Seus sonhos são íntimos e vêm do fundo de tu'alma, os beijos que emprestas para quem te têm, não podes possuir. Seus segredos profundos deixam de ser quando estão na mesa, nem todo mundo pode ter, mesmo que do fundo de uma mente inquieta, os muros protegem. Preciosidades são guardadas a sete chaves. E quando vais dividir não pedem permissão, tampouco se há sintonia prevalente desnecessárias se tornam as palavras donde queres que elas reinem, melhor se expressar por atitudes. Dedicando-las a quem te gosta e preza, mesmo que desprezo, mostrando oposto. O outro lado da face da moeda é fundo e indecoroso, donde parte pra si alegria que acalma-te depois das chuvas fortes. Sentes então no fundo do peito a dor dos amigos, o odor dos amores, longe ou perto, és feliz. Independente de toda a oposição, vem lá do fundo do armário, contradizendo pensamentos obscuros. Enobrece a desordem corriqueira. Se colocas expectativas em alg[o]uém, esquece então a felicidade. Esquece quem você é. Ou acha que deva ser, olhar-te no espelho e não podera reconhecer esse ser estranho, pouco familiar, desprovido de valores. Agora só mais um na multidão. Vazio. Esqueça então de tudo mais, se esvazie do resto que não sobra, encha-te de Deus, e boa energia. Meditando e orando, boas vibrações. O peito fica apertado, o mundo te enche de gente que te joga pro buraco, mas existem mãos que podem te puxar de lá, existem raras pessoas em quem se pode confiar. Raríssimas eu confesso. Pode-se contar nos dedos. Mentiras aqui são apenas palavras distorcidas, não existe nada certo, a lei é uma só e existem várias interpretações, a Bíblia também esta escrita em inúmeras edições, e quantas milhares de péssimas interpretações, trazidas para a sociedade e modo de vida, doentias. Deus! Agradeça pelas boas percepções, pelos aguçados sentidos, pelos perfumes doces quando ficam no ar. Os aromas da natureza, amadeirados quando ele passa. Ah! Como é bom sentir-se limpo com o clima frio. Sentir o calor do chá se sacudindo nos poros da boca, quente sem queimar, na medida que tem que ser. Nem muito nem pouco. Na dose certa. Pode-se sentir outro tipo de calor junto com tudo isso, uma sensação que se espalha, lentamente, até às extremidades. Chega ao extremo. O contraste, o toque dos dedos entrelaçados nos cabelos. Agora perdem o calor, podem roubar das outras partes! Pelo menos alivia, intensifica. Acalenta... Quanse uma viajem em poucos centímetros. Cada gota que se escorre com parcimónia, delicadamente, até o queixo e se esvai no ombro, amigo. Sutilmente. Abrigo. Aqui você pode ser você mesmo. Dentro do seu ítimo e de qualquer outro lugar, no fim da noite, perto de mim...
Essas palavras cospidas vão perdendo o sentido. Para não se expressar. Que fique tudo muito mal explicado, ninguém pode entender.
Essas coisas que imaginamos as vezes sem poder materializar, uma nostalgia estranha e familiar, não tenho ideia de onde venha...
E elas vão perdendo o que resta do calor.
E não vá apostar suas últimas fichas onde o maior prêmio é um efêmero deleite e um beijo na testa.
A vida é muito mais que isso.