Translator

terça-feira, 10 de maio de 2011

Por que o fracasso dói tanto?
E quando a gente sabe disso
tenta mudar inúmeras vezes
e ainda sente fracassado?
Por que a impressão
de que as coisas "não vão bem"
é sempre maior do que
como elas realmente se vão?
E quando as coisas se vão,
como um dia mal vivido.
Uma oportunidade perdida.
Uma palavra mal pronunciada,
ou não profetizada.
Será pode se recuperar?
Ou o apendizado
é maior do que o próprio erro?
Será que um dia
alguém vai conseguir fazer tudo
da maneira "certa"?
Ou será que não existe
nada "certo"?
Ou incerto.
Se tudo fosse garantido
talvez não teria tanta graça.
Se as coisas fossem fáceis
a vida seria melhor?
Ou seria um tédio?
Se pudesse ficar deitado até tarde,
acordar e não fazer nada,
fosse muito rico,
não tivesse que trabalhar.
Será que teria vontade de que?


Não é insatisfação.
Só curiosidade.
Não é indignação.
Só dificuldade.
Não é tristeza.
Só melancolia,
Não é drama.
Nem alegria.
Não é nada.
Só poesia!

Imagem (Luiz Zilhão)

Nenhum comentário: