Translator

domingo, 22 de novembro de 2009

Where is the love?




Não importa de onde você vem, e nem pra onde vai, mas sim o que carrega consigo, isso obviamente inclui a educação, criação, e os famosos “bons modos”. Que variam: lugar, cultura, influências, etc.

Em uma metrópole onde o tempo é corrido, e tem grande população, é um pouco diferente da vida “interiorana”.
Cresci numa cidade pequena de MG, e além da essência mineira, tenho alguns costumes característicos. Confesso que a maioria deles estão vindo a tona depois que passei a morar no RJ. Apesar de gostar muito de morar aqui, ainda há coisas pequenas, que só existem em pequenas cidades... Coisas simples da vida! Como o hábito de parar o carro para o pedestre, de chamar os amigos para um almoço em casa, deixar o carro aberto, tocar violão na praça, andar a noite pelas ruas. Coisas que tornam facilmente as pessoas mais próximas e os vínculos mais sólidas...
Enfim, é diferente. Mas sempre há exceção há regra. E o invariável em qualquer lugar do planeta, é o fato de todos serem humanos.
Em contrapartida os contemporâneos, já não são demasiadamente “humanos”, tampouco estão voltando às origens, pelo contrário, continuam bastante “racionais”...Não tanto quanto os gênios da antiguidade (Isaac Newton, Voltaire, Beethoven, Albert Einstein, Da Vinci, Rousseau, Aristóteles, Platão, Sócrates, Tales de Mileto, Henri Ford...) que iniciaram, adiantaram bastante, o processo evolutivo do homem.
Sem desmerecer os gênios atuais (Bill Gates, Dalai Lama, Garry Kasparov, Kim Ung-yong, OSCAR NIEMEYER...)

Mas quero falar de algo um pouco mais profundo e complexo do que “Q.I.”, quero tocar na essência, observar sutilmente essa metamorfose ambulante...
Rotina; Trabalho, faculdade, academia, lazer, estudos, reflexão, religião...
Não necessariamente todos itens nem a ordem.
Chega fim de semana, pra relaxar, vulgos “baladeiros”, geral vai pra noitada se divertir, beber fumar (cigarro ou Cannabis ), dançar funk, samba, hip-hop, e beijar na boca.
Às vezes acontece a troca de telefones (MSN, Orkut). Mas n’outro dia esquece onde colocou o papelzinho, ou simplesmente prefere não lembrar, ou talvez tem que jogar fora pro “companheiro” não descobrir! Pior que na maioria das vezes o ato de “pegar” quando não há um interesse considerável, já ficou involuntário, mero costume. Como uma “droga”, causa dependência, e quando você não tem/usa, vem a abstinência. Em seguida a repetição, logo o alívio imediato, surge então um ciclo vicioso que contamina a “galera”.
Abstinência “é uma coisa que deixa a gente inquieto”, faz sentir um vazio. E a sensação de saciedade é sempre efêmera...

Mas será que vazio é quem ta com essa “abstinência” de diversão, de “pegação”, noitada, paquera... Ou vazio é quem se abstém de tudo isso e as vezes fica em casa, ou só faz programas “light’s”, fica “parado”, é taxado de careta, “desanimado”, excêntrico, DIFERENTE!!.
Por que “badalar” ta na moda!!

Este é um dos motivos de minha tristeza, cada vez que saio pra uma “noitada” volto desiludida, vazia, decepcionada!
Homens jovens, mulheres novas, jovens homens, novas mulheres...

Pra onde foi, a cumplicidade? O companheirismo, a fidelidade?! A entrega...
A Soma!
É raridade hoje.
E quem quer compromisso, não se compromete mais!
Tradição?! Comodidade?!
Será que as pessoas têm medo de se machucar? Medo de gostar e depois não ter mais? Como se gostar fosse uma "ameaça", e realmente é, diante do perigo e o risco que se corre ao sair de casa... Falta de segurança, excesso de frieza. Cada dia mais egoístas e solitárias...

Por via das dúvidas, é melhor ficar em casa no frio do ar condicionado, ele esfria o corpo e não congela o coração!

Nsse mundo novo, junto com o aquecimento global tudo fica muito “quente”, o "calor humano" virou um "fogo ardente" pervertido, que junta os corpos e afasta a alma o coração, desvirtua a existência.

São mudanças que afetam diretamente a saúde da mente, do corpo, da alma...
Destruindo o presente mais valioso de Deus, o AMOR!


- Isso é um assalto!!! Desce do carro aí Tia, passa a bolsa os celular e e as jóias que ta usando!
(...)

- Pode levar tudo mas por favor não leve os documentos, e nem minha alma!

3 comentários:

Anônimo disse...

Ainda q pequeno o lugar tão grande será suas memórias. Ainda q imperfeito o lugar, tão perfeito se torna quando distante de qualquer lugar. Ainda q imperfeito todos aqueles q se lembra, se tornam perfeitos na sua ausência... na vida temos muitos "Q" e "pq", mas simplesmente amigos não são nem um "q" e o "pq", ficou a cargo do destino nos mostrar q a simplicidade é mais dificil e não damos o menor valor enquanto a temos...rs (POETA)

r. disse...

"quero tocar na essência, observar sutilmente essa metamorfose ambulante..."

sabe tão bem, aparecer num blog por acaso, e ler um texto tão interessante.

ao ler pensei, a dada altura em Clarice Lispector, e depois vi o perfil e esboçei um sorriso :)

parabens por escrever tao bem

r.

Segurança e Higiene Ocupacional disse...

Então eu estou aqui
E você também
Me permita ser o seu espelho esta noite
E descrever em mim o teu encanto
Tua estranheza e teu espanto
Como quem sabe no fundo
Que não há distância neste mundo
Pois somos uma só alma
Me permita ser esta noite
A voz que te canta e te encanta
de si
Que te faz sentir-se e parar
Como quem volta pra casa e
resolve se amar
Somos livres e não possuímos
as pessoas
Temos apenas o amor por elas
e nada mais
E é preciso ter coragem para
ser o que somos sustentar
uma chama no corpo sem deixar
a luz se apagar
É preciso recomeçar no caminho
que vai para dentro
vencendo o medo imaginado
assegurar-se no inesperado
confiando no invisível
desprezando o perecível
na busca de si mesmo
Ser o capitão da nau
no mais terrível vendaval
na conquista de um novo mundo
mergulhar bem fundo
para encontrar nosso ser real
E rir pois tudo é brincadeira
Que cada drama é só nosso
modo de ver
A vida só está nos mostrando
Aquilo que estamos criando
Com nosso poder de crer