Translator

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Njosnavelin

A nostalgic song... About... Everything and nothing... And n(ever)... Introspection inside me.

sábado, 5 de julho de 2014

1 Coríntios 13

1 Ainda que eu fale as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver amor, serei como o sino que ressoa ou como o prato que retine.
2 Ainda que eu tenha o dom de profecia e saiba todos os mistérios e todo o conhecimento, e tenha uma fé capaz de mover montanhas, mas não tiver amor, nada serei.
3 Ainda que eu dê aos pobres tudo o que possuo e entregue o meu corpo para ser queimado, mas não tiver amor, nada disso me valerá.
4 O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha.
5 Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor.
6 O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade.
8 O amor nunca perece; mas as profecias desaparecerão, as línguas cessarão, o conhecimento passará.
9 Pois em parte conhecemos e em parte profetizamos;
10 quando, porém, vier o que é perfeito, o que é imperfeito desaparecerá.
11 Quando eu era menino, falava como menino, pensava como menino e raciocinava como menino. Quando me tornei homem, deixei para trás as coisas de menino.
12 Agora, pois, vemos apenas um reflexo obscuro, como em espelho; mas, então, veremos face a face. Agora conheço em parte; então, conhecerei plenamente, da mesma forma como sou plenamente conhecido.
13 Assim, permanecem agora estes três: a fé, a esperança e o amor. O maior deles, porém, é o amor.

sábado, 11 de janeiro de 2014

Menestrel

"  DEPOIS DE ALGUM TEMPO

Depois de algum tempo você aprende a diferença, a sutil diferença entre dar a mão e acorrentar a alma. E você aprende que amar não significa apoiar-se,e que companhia nem sempre significa segurança. E começa aprender que beijos não são contratos, e que presentes não são promessas. E começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e os olhos adiante, com graça de um adulto e não a tristeza de uma criança. E aprende a construir todas as suas estradas no hoje, porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, e o futuro tem o costume de cair meio em vão.

Depois de algum tempo, você aprende que o sol queima, se ficar a ele exposto por muito tempo. E aprende que, não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam... E aceita que, não importam quão boa seja uma pessoa, ela vai feri-lo (a) de vez em quando, e você precisa perdoa-la por isso. Aprende que falar pode aliviar dores emocionais. Descobre que leva-se anos para construir confiança e apenas segundos para destrui-la, e que você pode fazer coisas em um instante, das quais se arrependerá para o resto da vida. Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer, mesmo a longas distâncias. E o que importa não é o que você tem na vida, mas quem você tem na vida. E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher. Aprende que não temos que mudar de amigos, se compreendermos que os amigos mudam. Percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa, ou nada, e terem bons momentos juntos. Descobre que as pessoas com que você mais se importa na vida são tomadas de você muito depressa, por isso, devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas, pode ser a última vez que as vejamos.

Aprende que as circunstâncias e os ambientes têm muita influência sobre nós, mas que nós somos responsáveis por nós mesmos. Começa a aprender que não se deve comparar com os outros, mas com o melhor que você pode ser. Descobre que leva muito tempo para se chegar aonde está indo, mas que, se você não sabe para onde está indo, qualquer lugar serve. Aprende que, ou você controla seus atos ou eles o controlarão, e não importa quão delicada e frágil seja uma situação, sempre existem dois lados.

Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer,enfrentando as consequências. Aprende que paciência requer muita prática.Descobre que algumas vezes, a pessoa que você espera que o chute, quando você cai, é uma das poucas pessoas que o ajudam a levantar-se. Aprende que a maturidade tem mais a ver com tipos de experiências que se teve e o que se aprendeu com elas, do que com quantos aniversários você celebrou. Aprende que há mais de seus pais em você do que você supunha. Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens, poucas coisas são tão humilhantes, e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso.

Aprende que quando está com raiva, tem direito de estar com raiva, mas isso não lhe dá o direito de ser cruel. Descobre que só porque alguém não o ama mais do jeito que você quer não significa que esse alguém não o ame com todas as forças, pois existem pessoas que nos amam, mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso. Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém, e que algumas vezes, você tem que aprender a perdoar a si mesmo.

E que, com a mesma severidade com que julga, será em algum momento condenado. Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido, o mundo não para, para que você junte seus cacos. Aprende que o tempo não é algo que se possa voltar para trás. Portanto, plante seu jardim e decore sua alma, ao invés de esperar que alguém lhe traga flores. E você aprende realmente que pode suportar... que realmente é forte, e que pode ir mais longe, depois de pensar que não pode mais. E que realmente a vida tem valor diante da vida!!!"

O Menestrel - William Shakespeare

terça-feira, 9 de julho de 2013

O sotaque das mineiras . Carlos Drummond de Andrade

O sotaque das mineiras deveria ser ilegal, imoral ou engordar.Afinal,se tudo que é bom tem um desses horríveis efeitos colaterais, como é que o falar, sensual e lindo das moças de Minas ficou de fora?
Porque, Deus, que sotaque! Mineira devia nascer com tarja preta avisando: "ouvi-la faz mal à saúde". Se uma mineira, falando mansinho, me pedir para assinar um contrato doando tudo que tenho, sou capaz de perguntar: "só isso?". Assino, achando que ela me faz um favor.
Eu sou suspeitíssimo. Confesso: esse sotaque me desarma. Certa vez quase propus casamento a uma menina que me ligou por engano, só pelo sotaque.
Os mineiros têm um ódio mortal das palavras completas... Preferem, sabe-se lá por que, abandoná-las no meio do caminho. Não dizem: pode parar, dizem: "pó parar" Não dizem: onde eu estou?, dizem: "onde queu tô."
Os não-mineiros, ignorantes nas coisas de Minas, supõem, precipitada e levianamente, que os mineiros vivem - lingüisticamente falando - apenas de uais, trens e sôs.
Digo-lhes que não. Mineiro não fala que o sujeito é competente em tal ou qual atividade. Fala que ele é bom de serviço. Pouco importa que seja um juiz, um jogador de futebol ou um ator de filme pornô. Se der no couro - metaforicamente falando, claro - ele é bom de serviço. Faz sentido...
Mineiras não usam o famosíssimo tudo bem. Sempre que duas mineiras se encontram, uma delas há de perguntar pra outra: "cê tá boa?" Para mim, isso é pleonasmo. Perguntar para uma mineira se ela tá boa é desnecessário. ...
Há outras. Vamos supor que você esteja tendo um caso com uma mulher casada. Um amigo seu, se for mineiro, vai chegar e dizer: - Mexe com isso não, sô (leia-se: sai dessa, é fria, etc..) O verbo "mexer", para os mineiros, tem os mais amplos significados. Quer dizer, por exemplo, trabalhar. Se lhe perguntarem com o que você mexe, não fique ofendido. Querem saber o seu ofício.
Os mineiros também não gostam do verbo conseguir. Aqui ninguém consegue nada. Você não dá conta. Sôcê (se você) acha que não vai chegar a tempo, você liga e diz: "- Aqui, não vou dar conta de chegar na hora, não, sô."
Esse "aqui" é outra delícia que só tem aqui. É antecedente obrigatório, sob pena de punição pública, de qualquer frase. É mais usada, no entanto, quando você quer falar e não estão lhe dando muita atenção: é uma forma de dizer "olá, me escutem, por favor". É a última instância antes de jogar um pão de queijo na cabeça do interlocutor.
Mineiras não dizem "apaixonado por". Dizem, sabe-se lá por que, "apaixonado com". Soa engraçado aos ouvidos forasteiros. Ouve-se a toda hora: "Ah, eu apaixonei com ele...". Ou: "sou doida com ele" (ele, no caso, pode ser você, um carro, um cachorro).
Eu preciso avisar à língua portuguesa que gosto muito dela, mas prefiro, com todo respeito, a mineira. Nada pessoal. Aqui certas regras não entram. São barradas pelas montanhas.
Por exemplo: em Minas, se você quiser falar que precisa ir a um lugar, vai dizer: - "Eu preciso de ir." Onde os mineiros arrumaram esse "de", aí no meio, é uma boa pergunta.. Só não me perguntem! Mas que ele existe, existe. Asseguro que sim, com escritura lavrada em cartório.
No supermercado, o mineiro não faz muitas compras, ele compra um tanto de coisa. O supermercado não estará lotado, ele terá um tanto de gente. Se a fila do caixa não anda, é porque está agarrando lá na frente. Entendeu? Agarrar é agarrar, ora!
Se, saindo do supermercado, a mineirinha vir um mendigo e ficar com pena, suspirará :"- Ai, gente, que dó."
É provável que a essa altura o leitor já esteja apaixonado pelas mineiras... Não vem caçar confusão pro meu lado! Porque, devo dizer, mineiro não arruma briga, mineiro "caça confusão". Se você quiser dizer que tal sujeito é arruaceiro, é melhor falar, para se fazer entendido, que ele "vive caçando confusão".
Ah, e tem o "Capaz...." Se você propõe algo a uma mineira, ela diz: "capaz" !!! Vocês já ouviram esse "capaz"? É lindo. Quer dizer o quê? Sei lá, quer dizer "ce acha que eu faço isso"!? com algumas toneladas de ironia.. Se você ameaçar casar com a Gisele Bundchen, ela dirá: "ô dó dôcê". Entendeu? Não? Deixa para lá.
É parecido com o "nem..".Já ouviu o "nem..."?
Completo ele fica: "- Ah, nem...." O que significa? Significa, amigo leitor, que a mineira que o pronunciou não fará o que você propôs de jeito nenhum. Mas de jeito nenhum. Você diz: "Meu amor, cê anima de comer um tropeiro no Mineirão?".
Resposta: "nem...." Ainda não entendeu? Uai, nem é nem. Leitor, você é meio burrinho ou é impressão?
Preciso confessar algo: minha inclinação é para perdoar, com louvor, os deslizes vocabulares das mineiras. Aliás, deslizes nada. Só porque aqui a língua é outra, não quer dizer que a oficial esteja com a razão.
Se você, em conversa, falar: "Ah, fui lá comprar umas coisas...".. - Que" s coisa? - ela retrucará. O plural dá um pulo. Sai das coisas e vai para o "que"!
Ouvi de uma menina culta um "pelas metade", no lugar de "pela metade". E se você acusar injustamente uma mineira, ela, chorosa, confidenciará :
Ele pôs a culpa "ni mim".
A conjugação dos verbos tem lá seus mistérios, em Minas... Ontem, uma senhora docemente me consolou: "preocupa não, bobo!".. E meus ouvidos, já acostumados às ingênuas conjugações mineiras. nem se espantam. Talvez se espantassem se ouvissem um: "não se preocupe", ou algo assim. Fórmula mineira é sintética. e diz tudo.
Até o tchau, em Minas, é personalizado. Ninguém diz tchau, pura e simplesmente. Aqui se diz: "tchau pro cê", "tchau pro cês". É útil deixar claro o destinatário do tchau...

quarta-feira, 12 de junho de 2013

Você não precisa entender,
precisa sentir!
Não é necessário saber tudo,
mas buscar aprendizado.
Nascemos sem nada saber,
e ainda morremos cheios de dúvidas.
Não existe pessoa certa
tampouco o momento errado.
E nem certeza de muita coisa.
Mas muita coisa é certa.
E o destino é o único,
e ainda sim, muda constantemente
incerto, o plantio é opcional
e a colheita é inevitável!
Existem encontros e desencontros,
e a gente determina quem vai ou fica.
A vida é cheia de surpresas.
De escolhas.
Ela começa no final da zona de conforto.
E a cada minuto que passa
temos a chance de mudar tudo
para sempre..
Ou por enquanto.

terça-feira, 11 de junho de 2013

E dos sentimentos mais profundos do meu coração,
tive até vontade de pegar um lápis e um papel...
Escolhi os conteúdos que mais se encaixavam na situação,
mas a capa vermelha com um coração, bem expressiva,
não negava e meus olhos não puderam hesitar.
E não bastou apenas um, mesmo que não fosse entrega-los,
eram todos seus, ainda tinha mais conteúdo pra escrever a caneta.
Apesar de as palavras serem tão pobres nesse momento,
elas somem quando eu tento expressar a beleza,
tentei até desenhar, mas não obtive muito sucesso.
Sabe, não sei nem mesmo explicar o que sinto.
Existe tanto amor pra doar dentro do meu coração
que pra mim é confuso e difícil entender...
Tô ouvindo aquela musica do Elton Jonh agora,
Your Song, e uma  lágrima quer cair
não sei se de triste ou feliz.
Dá pra notar que eu não sei muitas coisas dessa vida,
sou como um pássaro, que raramente pisa em terra firme.
Naquele momento eu chorei naqueles braços
e depois podia sentir o cheiro em minhas roupas,
eu sentia o cheiro em vários lugares, isso me lembrava
do tempo que sorríamos como crianças
fico tentando entender...
Será que eu não tive a capacidade de aceitar
que tudo isso era realmente é suficiente?
Quando vejo imagens de um rosto bonito em meus retratos,
a carne me confunde, talvez o costume, me consome,
não poderia ter certeza disso sem voltar no tempo,
sentir que naquele jardim não florescerá mais rosas
e que não tenha deixado pra trás sementes de uma família...
Sementes de um talvez.
Não, não é isso que eu quero.
Fizeste com que tudo isso perdesse um pouco o sentido,
social, íntimo, filosófico, ideal - Idealismo, talvez um mero clichê.
Minha curiosidade me aproximou daquele olhar,  tirou um pouco do eixo
de curioso agora são os sentimentos
embaralhando ainda mais as coisas que desconheço.
E tão doce contraste...
Foi apenas uma ilusão.
Agora me olho no espelho, nem sei mais quem sou.
Não pelos fatos, ou mesmo a ausencia deles.
Preciso me encontrar, antes de "querer" qualquer coisa,
mas não faço ideia de onde esteja.
Tentei por vezes procurar dentro de alguém...
Incessante busca de algo que talvez nem exista.
Me sinto tão ínfima e comum.
Não poderia mensurar o quão profundas são minhas dúvidas
questionamentos a respeito de tudo.
Perguntas incessantes, infinitas.
A ansiedade de saber o que tem por vir. Sempre.
Minha sede de acertar, me cega as vezes.
Você estava ali bem na minha frente.
Ainda sim eu não pude sentir,
faltou desejo, faltou vida, ensejo.
Quando penso que me encontrei,
doce ilusão, me perco novamente...
Não sei mais onde você está agora
pois nesses devaneios também te perdi...

segunda-feira, 15 de abril de 2013

..."Se choro, quando choro, e minha lágrima cai, é pra regar o capim que alimenta a vida, chorando eu refaço as nascentes que você secou.
Se desejo, o meu desejo faz subir marés de sal e sortilégio.
Vivo de cara pra o vento na chuva, e quero me molhar.
O terço de Fátima e o cordão de Gandhi, cruzam o meu peito.
Sou como a haste fina, que qualquer brisa verga, mas nenhuma espada corta..."

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Dez coisas que levei anos pra aprender..



"Dez Coisas que Levei Anos Para Aprender:

1. Uma pessoa que é boa com você, mas grosseira com o garçom, não pode ser uma boa pessoa.
2. As pessoas que querem compartilhar as visões religiosas delas com você, quase nunca querem que você compartilhe as suas com elas.
3. Ninguém liga se você não sabe dançar. Levante e dance.
4. A força mais destrutiva do universo é a fofoca.
5. Não confunda nunca sua carreira com sua vida.
6. Jamais, sob quaisquer circunstâncias, tome um remédio para dormir e um laxante na mesma noite.
7. Se você tivesse que identificar, em uma palavra, a razão pela qual a raça humana ainda não atingiu (e nunca atingirá) todo o seu potencial, essa palavra seria “reuniões”.
8. Há uma linha muito tênue entre “hobby” e “doença mental”.
9. Seus amigos de verdade amam você de qualquer jeito.
10. Nunca tenha medo de tentar algo novo. Lembre-se de que um amador solitário construiu a Arca. Um grande grupo de profissionais construiu o Titanic.

Quero, um dia, poder dizer às pessoas que nada foi em vão… que o AMOR existe, que vale a pena se doar às amizades a às pessoas, que a vida é bela sim, e que eu sempre dei o melhor de mim… e que valeu a pena!"

Luís Fernando Veríssimo

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Em homenagem aos meus amigos.

        Tenho amigos que não sabem o quanto são meus amigos. Não percebem o amor que lhes devoto e a absoluta necessidade que tenho deles.

        A amizade é um sentimento mais nobre do que o amor, eis que permite que o objeto dela se divida em outros afetos, enquanto o amor tem intrínseco o ciúme, que não admite a rivalidade. E eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos! Até mesmo aqueles que não percebem o quanto são meus amigos e o quanto minha vida depende de suas existências...

        A alguns deles não procuro, basta-me saber que eles existem. Esta mera condição me encoraja a seguir em frente pela vida. Mas, porque não os procuro com assiduidade, não posso lhes dizer o quanto gosto deles. Eles não iriam acreditar.

        Muitos deles estão lendo esta crônica e não sabem que estão incluídos na sagrada relação de meus amigos. Mas é delicioso que eu saiba e sinta que os adoro, embora não declare e não os procure. E às vezes, quando os procuro, noto que eles não tem noção de como me são necessários, de como são indispensáveis ao meu equilíbrio vital, porque eles fazem parte do mundo que eu, tremulamente, construí e se tornaram alicerces do meu encanto pela vida.

        Se um deles morrer, eu ficarei torto para um lado. Se todos eles morrerem, eu desabo! Por isso é que, sem que eles saibam, eu rezo pela vida deles. E me envergonho, porque essa minha prece é, em síntese, dirigida ao meu bem estar. Ela é, talvez, fruto do meu egoísmo.

        Por vezes, mergulho em pensamentos sobre alguns deles. Quando viajo e fico diante de lugares maravilhosos, cai-me alguma lágrima por não estarem junto de mim, compartilhando daquele prazer...

         Se alguma coisa me consome e me envelhece é que a roda furiosa da vida não me permite ter sempre ao meu lado, morando comigo, andando comigo, falando comigo, vivendo comigo, todos os meus amigos, e, principalmente os que só desconfiam ou talvez nunca vão saber que são meus amigos! 
 
Vinícius de Moraes.

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Extreme...


As vezes o corpo não entende o efeito que a música é capaz de surtir na mente...

É uma sensação inexplicável, quase flutuante...

Mas há pessoas que ainda não entendem.

Desprezam a imaginação com banalidades.

Existe uma trilha sonora para cada segundo de nossas vidas.

Todas as televisões do mundo seriam ao menos metade, apenas sonoras -

Reduziriam apenas metade de tanta inutilidade, nesse planeta ainda tão pobre de alma.

Metade não. Dois terços! -  O último terço fica pra oração.

....Eu sinto!

Gostaria de transmitir isso ao mundo, com um pouco mais de ênfase.

 Infinitas vibrações positivas....

E que o universo conspire a nosso favor...

Extreminds...

quinta-feira, 7 de junho de 2012

A Dança


"Não te amo como se fosse rosa de sal, topázio
Ou flecha de cravos que propagam fogo:
Te amo como se amam certas coisas obscuras,
Secretamente, entre a sombra e a alma.

Te amo como a planta que não floresce e
Leva dentro de si, oculta, a luz daquelas flores.
E graças a teu amor, vive oculto em meu
Corpo o apertado aroma que ascende da terra.

Te amo sem saber como, nem quando, nem onde.
Te amo diretamente sem problemas nem orgulho;
Assim te amo porque não sei amar de outra maneira,

Senão assim, deste modo, em que não sou nem és.
Tão perto de tua mão sobre meu peito é minha,
Tão perto que se fecham teus olhos com meu sonho."

Pablo Neruda

domingo, 15 de abril de 2012

As vezes eu fico parada, pensando...  
E o tempo nao para pra mim. 
Nem as coisas que eu mais quero que aconteçam, começam a se mover.
E eu Espero, que alguém advinhe alguma coisa que nem eu sei o que é.
Espero que ele conserte o erro, que fulano mude, 
e tome uma atitude para o problema que ele mesmo causou. 
Acontece, que isso incomoda mais a mim do que qualquer outra pessoa. 
Ou que incomode outras que também esperam das outras. 
Atitudes. 
Atitudes  que nem eu tenho "coragem" de tomar. 
Por pensar "não é culpa minha"... 
Nao me trouxe muitas coisas boas "esperar"... 
Acho que espero demais... 
E tempo continua passando... 
Talvez esses minutos que eu perdi (alias ganhei), 
me serviram para analisar um pouco mais,
 as minhas próprias condutas. 
Pois é bem mais fácil ver as costas alheias.
e a nossa... Bem, só no reflexo, do espelho. 
E na essência do seu ser. 
"Existem mais coisas entre o céu e a terra do que sonha nossa vã filosofia.." W.S.
E agora que eu pude notar isso, 
eu espero. 
Espero que eu não perca mais o meu tempo precioso, 
esperando! 
E sim agindo. 
Quem sabe por intermédio de um exemplo bem sucedido,
consiga atrair mais resultados do que um outdoor. 
 As palavras são suaves, deslizam pelo papel.. 
Eu que o diga! 
Adoro como as palavras dançam em nossa mente,
 e eu fico tentando organiza-las. 
Mas elas se mostram e depois se escondem novamente.. 
Elas brincam comigo, pra variar. 
E eu acabo sempre ficando sem saber o que dizer.
Ainda bem que pra agir nem sempre é necessário "falar", 
descobri que o corpo também fala. 
E silencio também. 
Parece magica e quando se menos espera, alguém consegue te "ler". 
Esperança soa melhor! 
Perseverança!  ...  
Melhor entregar nas mãos Dele.
A resposta é bem mais sutil, mas é certa! 
Só se pode sentir no espirito. 
O cérebro ainda nao foi capaz de entender isso, 
o mundo e os psicólogos vão passar séculos
tentando entender ou descobrir.... 
O meu problema era exatamente esse, 
ficar parada, e procurar problemas, 
onde eu devia propor soluções. 
Isso ofuscou meu otimismo que
vou recuperar a qualquer custo,
nada é mais forte do que minha vontade de vencer!

sábado, 31 de março de 2012

Verdade 

A porta da verdade estava aberta,
mas só deixava passar
meia pessoa de cada vez.

Assim não era possível atingir toda a verdade,
porque a meia pessoa que entrava
só trazia o perfil de meia verdade.
E sua segunda metade
voltava igualmente com meio perfil.
E os meios perfis não coincidiam.

Arrebentaram a porta. Derrubaram a porta.
Chegaram ao lugar luminoso
onde a verdade esplendia seus fogos.
Era dividida em metades
diferentes uma da outra.

Chegou-se a discutir qual a metade mais bela.
Nenhuma das duas era totalmente bela.
E carecia optar. Cada um optou conforme
seu capricho, sua ilusão, sua miopia.





Carlos Drummond Andrade


domingo, 4 de março de 2012


Tenho notando ha algum tempo o comportamento das pessoas, em situações variadas.
Principalmente nas relações  na presença do dinheiro (compra e venda, fornecedor-empresa, vendedor-cliente final; heranças, planos de negócios; responsabilidades diversas em vários níveis - dos cargos em empresas a posições familiares...).


 Preciso dizer que a cada dia observado fico mais chocada;  e convencida de que definitivamente, muitos perderiam a identidade por "um monte" de dinheiro. 
Ainda que pensem o contrário; quer conhecer alguém? Dê poder a ele! 
Tive uma experiência dessas, um dia desses. E o processo ainda continua em andamento... Está sendo "impressionante"! (Qualquer hora penso em relatar superficialmente.)


E de que importam tantas observações, de que importa se muitos percebem que o egoísmo tem deteriorado nossa espécie, e que cada criação, cada descoberta, cada migalha de qualquer coisa, no fim das contas também vai girar em torno do dinheiro. Não existe mais filantropia! Virou utopia mesmo. 
Bem, se não virou, ao menos parece bastante. 


Eles brincam com o Rio de Janeiro por aí, dizem da violência e marginalidade. Já soube de muitos fatos perto, e graças a Deus nada me aconteceu... Mas eu saio nas ruas com medo. Sinto medo de andar a noite, sinto medo de lugares desertos, não tenho medo de animais nem de espíritos, é medo de pessoas! Me diz? Que mundo é esse que estamos vivendo?
Eu vejo nos filmes as pessoas fugindo de lobos, feras e mutações. Mas por favor me diga que cara tem as figuras assassinas da cadeia?!?!?!?!!??!


É mesmo assustador, e a propósito; não deve ser "de hoje", mas mesmo que fossem daqui há 200 anos, isso é assustador! E será que essas pessoas "maldosas" tem algum propósito de ser assim consigo? 
Alguma explicação por favor? - Traumas de infância? Abuso sexual? Esquizofrenia?! Tsc tsc tsc...
Elas querem alguma coisa que não podem possuir, elas não ouviram os "não's" suficientes de seus pais, querem achar um meio facil para terem o que querem... E sabe o que elas querem?!?
(voltamos a estaca zero...) DINHEIRO!!!!!
A mídia enfia na cabeça das pessoas, que isso "traz poder"...

Abri as portas do quarto agora, a cortina e as janelas também... Fez uma diferença significativa no ar que circulava tão quente, por mais que eu não fosse achar que tanto, nem está mais insuportável sem o ar condicionado. Será que todo mundo sabe disso?
Ou tem muita gente por ai querendo explorar até a ultima gota dos recursos que ainda são abundantes.
Ainda posso dizer que as melhores coisas da vida são "grátis" -  para aqueles que tem o minimo que se precisa. 

Assim a vida segue. Vai ser preciso algo muito mais "expressivo" do que aquecimento. O fato é que - não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam. E várias outras também não vão se importar em convencê-las do contrário.


"Quando a última árvore tiver caído, quando o último rio tiver secado, quando o último peixe for pescado, muitas pessoas vão entender que dinheiro não se come!"


E em pleno século 21; ainda existe fome!